Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

DIA DE SÃO GONÇALO...

 

Ainda o dia de S. Valentim vinha longe já a blogosfera mostrava o seu desagrado em relação a este dia...

 

 o que incomoda tanto as pessoas?...

 

  

Será o nome do Santo, Valentim rima com alecrim, será índice de mau olhado, bom o certo é que pelos lados onde andei, e não foram poucos, mais de metade da blogosfera se mostrou indignada com o dia dos namorados, uns porque acham uma pirosice, outros porque acham que é um consumismo, outros porque afirmam que o Amor deve ser demonstrado todos os dias e não num específico, outros porque são como os burros, vivem com duas palas nas fontes e não vêem mais nada para além do umbigo deles,....outros porque,  diabos me levem, se não sentem dor de cotovelo e ainda outros porque não sabem o que dizer e votam na maioria, seguem os exemplos.

 

Que raio se passa com as pessoas, o dia dos namorados é como outro dia qualquer, igualzinho, a única diferença é que talvez nesse dia a atenção seja reforçada, os miminhos sejam mais abundantes, somos mais lembrados durante o dia pela pessoa amada, porque obviamente somos confrontados com várias situações alusivas ao dia, ficamos mais coloridos, mais ensolarados, mais dispostos, mais bonitos...e não me venham dizer que se existe amor deveria ser assim todos os dias, porque as rabanadas, aquelas que são consumidas especialmente no Natal, fora dessa época pouco sabor nos deixa na boca.

 

Agora pergunto, na vossa perspectiva, ou seja, naquela que andei lendo por aí (salvo raras excepções que tive o prazer de registar com comentário),  O DIA DA MÃE, OU DO PAI, OU DA MULHER,  falo destes porque são os que mais se destacam, serão também ridículos, não devem fazer sentido, porque afinal de contas, somos mães todos os dias (aquelas que o forem), somos pais todos os dias (aqueles que o sejam) somos mulheres todos os dias (até à data)...então...porquê comemorar este dia, quando o nosso papel de mãe, pai e mulher faz parte de uma vida?...

 

 E VIVA O AMOR...

 

 

O  amor é....(aguardo sugestões...)..

 

 


publicado por nuvemdoce às 16:09
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Gonçalo Cardoso a 14 de Fevereiro de 2011 às 20:45
Acho que o problema é mesmo o Valentim. Se o santo se chamasse Gonçalo já teria outra graça :P

Olha, acho que tens imenso jeito para a análise e descrição dos diferentes tipos de pessoas. Observadora, perspicaz e com bom sentido de humor. Já provocaste o meu sorriso com o teu início do texto...

Respondendo à tua pergunta, não acho nada ridículo o dia de São Valentim, acho-o extremamente nobre e quem me dera vivê-lo com maior sentido ano após ano, seria uma excelente prova de amor. O que acho ridículo é a lamechice falsa e exagerada para alguns neste único dia do ano, porque amanhã já não há mais lamechice e querem é pão e vinho na mesa! Lamechice sim, mas duradoura...

Também não iria gostar de recordar um dia da mãe ou pai que seja ausente, isso seria uma farsa!

Beijinhos ***


De nuvemdoce a 15 de Fevereiro de 2011 às 16:46
Pois é, nesse ponto estamos de acordo, São Gonçalo é bem mais simpático!!....o Valentim não me liga nenhuma, e olha que o defendo com unhas e dentes...grrrr...(talvez com mais força)...GRRRRR...
não consegues melhor??...bom, só se chamar o Rafeiro, (ah...ainda se está a perfumar)...ok...ficamos assim!!...

A ideia era essa, aproveitar o teu estado lunar (sorridente) para retribuir a cortesia, caso contrário este mesmo texto noutra lua poderia ser levado mais a sério. Mas idem aspas, os meus lábios ganharam curvas, até aqui temos estado em sintonia, o sentido de humor tem destas coisas boas.

"Amanhã" aqueles que vivem todos os dias o seu amor em grande lamechice, continuarão a vivê-lo?...eu sei ..lá ...eu sei..lá... o dia de amanhã, hoje sim estou viva e se receber um raminho de flores e tiver cunbite pra jantar fora...Ala que se faz tarde... (pulos de alegria)...

Beijokas :):)


De Gonçalo Cardoso a 18 de Fevereiro de 2011 às 17:45
O teu sentido de humor e liberdade intelectual já merecia um raminho de flores e um convite para jantar. Continua assim que estás a ir muito bem :)

Beijinhos***


De retrato a 15 de Fevereiro de 2011 às 11:10
este tema é pertinente, mas bem simpático, pelo convite ao debate.

na minha opinião, confesso, a importância da relação, seja entre pais e filhos, entre namorados, entre marido e esposa, e outras, é aquela que deve ser vivida, sem destaque particular de um dia, que se comemora. esse dia é cumplice de muita hipocrisia, sendo que, alimenta "o inexistente".
o amor, repito, na minha opinião e postura, é o sentimento mais difícil de definir, por palavras, e o mais fácil de sentir, de marcar, a relação entre dois seres.
o amor sente-se e vive-se em plenitude, em primeiro lugar, valorizando o diálogo, principalmente, saber aceitar, a palavra, a opinião, um conselho, um dia mau do(a) companheiro(a) e um dia bom do mesmo, mas não correspondido por nós, e aí... reconhecer e saber pedir uma palavra, uma ajuda.
mas o amor não é só isto. o amor é muito mais, e tem a cumplicidade da "espontaneidade" de atitude. um pequeno gesto significa muito, é o tal "miminho", e são esses miminhos, "o espontânio", que revelam o sentimento. não pede palavras, apenas gesto, mas responsabiliza-se pela retribuição, que pode ser, um beijo, uma festa, um sorriso e, também, um "deixa-me, hoje não estou para isso" porquê? por muitas razões que podem passar de um estado a outro, se houver a partilha.
sejamos confessos, tal como os dias não são iguais, também o amor tem o seu ponto alto, mas também, o baixo... mas nunca inexistente, permanece sentido.
a vida é alegria e sofrimento o resto, depende de nós e não digam que não, que há factores que nos limitam, nos impedem. o amor, no minímo, proporciona um olhar, é irresistível.


De nuvemdoce a 15 de Fevereiro de 2011 às 17:45
Olá Retrato, bem vindo.

Não vou dizer que me é estranho, porque tive o prazer de ler alguns dos seus comentários na LouAlma, por sinal fiquei com a sensação que, falar de Amor consigo é como navegar pelo oceano sem destino, simplesmente ao sabor do vento, é conversa para não ter fim.

A finalidade deste texto não foi própriamente encontrar definição para o Amor, até porque concordo consigo, é um sentimento que não se define pelo simples facto de ser sentido, ou se sente ou não se sente e acabou...tudo o que possam dizer para além disso, são decerto outros sentimentos com outros nomes que não Amor. É claro, que existem diversos tipos de Amor, mas aqui fala-se de apaixonados, tanto que, o dia em questão que criou este debate é "o dia dos namorados"...onde se incluem todos os estados amorosos. (sugiro leitura do post anterior).

Nesta linhagem de pensamento apenas me vou basear na leitura que faz sobre este dia, precisamente onde diz: "esse dia é cumplice de muita hipocrisia, sendo que, alimenta "o inexistente".
Não concordo em absoluto. Como é que um dia pode revelar tanta coisa, esse dia não vai mudar nada, a teoria que usa, vai ser igual para os dois lados, se a relação estiver bem, vai continuar bem, se estiver mal, vai continuar mal, se não existir relação, vai continuar assim ou ....poderá mudar, se assim o desejarmos, como muito bem diz no último parágrafo (depende de nós)...então, como explica o "inexistente"?...onde está a hipocrisia??...só se for na conspiração??..porque as pessoas estão decerto conscientes do que vivem e querem continuar a viver ou não!!...

Se existe um dia que nos alerta e convida a sair da rotina, porquê espantar??...não me vai dizer que, não será preciso quando existe amor, porque sabe tão bem como eu que não se trata tão simplesmente disso, mas sim...de tudo o que envolve uma relação. Suponhamos que estamos a falar de um casal que sabe fazer as coisas quase perfeitas, será que nesse dia não gostarão de fazer algo mais perfeito ainda, não se trata de um empurrão, de tapar o sol com a peneira, mas de um dia em que as estrelas têem a forma de corações...é assim tão díficil alcançar essa luz??...

Uma Beijoka :)


De retrato a 15 de Fevereiro de 2011 às 23:31
nuvemdoce,
começo por agradecer a simpática visita e comentário no meu blogue.

agora,
vamos ver como podemos dar um certo senso ás palavras.
tive o cuidado de seguir a tua sugestão e li o post anterior. fico satisfeito pelo que li, revelador de teres um caráter (a nova ortografia não me sôa nada bem) muito respeitável.
em parte e se verificares bem, tu estás, ainda antes de eu te ter comentado, a referir a tal "hipocrisia" ou "inexistência", se bem que por outras palavras, senão veremos. se bem me recordo. tu referes uma "falta de sentido" por esse dia comemorativo (dia dos namorados) ao dizeres que é apenas um dia onde se pode dar um pouco mais de "beleza" ao amor, à relação. logo de seguida, reforças a minha opinião quando dizes que no dia seguinte tudo volta ao mesmo, ou seja, a relação que é boa, boa continua, a má, má continua e a não muito segura, insegura continuará, certo? o dia, apenas, tem um sentido que é o permitir ser cor-de-rosa. para mim isso é o tal sentido de hipocrisia que dou pois, hoje dá-se um ramo de flores e amanhã "uma bofetada", entendes?
para mim, o dia seria o prenúncio do elevar, reforçar, a relação menos, o voltar ao costume.
tenho receio de não me estar a explicar bem.
se repararesa bem, tu própria, no teu post anterior, vais ver que dás razão à minha palavra "hipocrisia".
sabes, eu tenho em mim um valor que não abdico dele. eu sou a favor do diálogo e do estudo das opiniões, assim como, defender a minha tese se tiver argumentos que considere válidos, mas também, fácilmente reconhecer a razão que está na outra voz.
em resumo, claro que que esse dia promove que um casal possa sair da rotina, e assino essa postura, mas entendo que se querem, agora palavras tuas, fazer algo mais perfeito, quando o dia termina, essa perfeição atingida deve permanecer e não ser contrariada pela rotina. os valores da relação são para serem reconhecidos, reforçados e emendados, se for o caso.

achas que me expliquei?
achas que tem sentido o que defendo?

sou uma pessoa que gosta de aprender e isso só se consegue com diálogo.


De nuvemdoce a 16 de Fevereiro de 2011 às 09:16
Olá Retrato,

Tento sempre tornar claro o meu ponto de vista, aquele que defendo, para isso uso as minhas palavras, estas que aqui lês e que para mim são dotadas de senso, não posso garantir com isso agradar a gregos e troianos, pois cada um fará a sua interpretação e compreenderá à sua maneira, mas o meu objectivo é chegar ao entendimento com as pessoas, apesar das diferentes opiniões sobre variados assuntos. O respeito é primordial nestes diálogos e prezo-o demais, penso que, não precisamos ser doutores para o saber usar e adotar em conformidade com as nossas atitudes. Lamento informar que o texto anterior, não foi escrito por mim, no entanto assino e sigo os conceitos, pois tenho discernimento, maturidade e experiência de vida para agora compreender o que realmente é importante no Amor.

Tenho pena que baseado num texto, que qualquer um percebe que são noções básicas para uma relação dar certo ou errado, faças uma análise de carácter da minha pessoa, será que aqui neste texto não o encontras??...talvez exista um pouco de preconceito nas tuas avaliações, notei isso quando usaste as palavras "hipocrisia" e "inexistente" num dia que é apelativo ao Amor. E não, não estou a reforçar a tua opinião em relação à "hipocrisia" e "inexistência", estou apenas a dizer que esse dia deve ser vivido como outro qualquer, deve ser comemorado como outro qualquer, deve ser levado a sério como outro qualquer, deve ser aproveitado como outro qualquer, enfim...deve fazer parte do livro das recordações, do album de fotografias, das conversas entre casais, das lembranças na gaveta, da cumplicidade da relação, porque a presença dele, a existência dele é sempre um convite ao Amor, independentemente do "amanhã"...é HOJE que estamos vivos.

Beijoka

p.s. Espero que não leves a mal a frontalidade, gosto de "debates" pertinentes, mas tenho limites bem delineados.


De retrato a 16 de Fevereiro de 2011 às 11:12
nuvemdoce,

em primeiro lugar, não tens de estar preocupada se levei a mal, ou não, a tua frontalidade, até porque, devo dizer-te, que é assim que o diálogo, o debate, tem consistência e é aí que deves ser "tu".
não, claro que não levei a mal a tua frontalidade. não há qualquer motivo para tal. seria quase, como que, irracional se não aceitasse a tua frontalidade, que tanto elevo em quem comigo se relacione.

agora,
eu receei que não me fizesse explicar bem, mas antes de qualquer outra palavra, quero dizer-te que nunca foi minha intenção estar a fazer um juízo do teu caráter. longe, muito longe desse meu atrevimento. não o fiz mesmo. o que fiz, foi a minha interpretação, a minha relação, com esse e outros dias comemorativos de algo, calhou este tema, tão pertinente. acredita, e não estou a fugir a qualquer atitude minha, mas de coração, quero
reafirmar que a minha opinião, as minhas palavras, em nada se relacionam com uma avaliação sobre a tua pessoa, o que não me impede de te pedir desculpa se isso dei a entender.

por outro lado, não deixa de ser positivo estas "leituras" que fazemos, sejam elas bem entendidas ou não, sendo que nos "ensinam", no meu caso, a reflectir, a um voltar a ler o motivo da nossa conversa, e a refazer, ou não, a minha interpretação, agora, com a ajuda da tua frontalidade.

em relação ao tema, quero reafirmar que não sou contra o comemorar-se o dia dos namorados ou outros. apenas lhes dou valor, se eles forem vividos, comemorados e, saudávelmente sentidos com o coração.

talvez, e refletindo com as tuas palavras, tenha exagerado na avaliação do tema. tendo como ponto de partida para essa reflexão, a frase "um texto que ressalva as noções básicas para uma relação dar certo ou errado".

nuvemdoce,
gostava de te pedir que não me julgues pela má interpretação, minha, ou tua, e que te levou a pensar que eu estaria a fazer uma avaliação da tua personalidade, da tua pessoa.
não estou afetado pela tua frontalidade, pelo contrário, e espero que assim continues, se achares que mereço a continuidade da nossa relação no partilhar as palavras que proporcionam a "diferença de opiniões, ou não", mas com o objetivo da defesa do bom entendimento.

beijoka



De nuvemdoce a 16 de Fevereiro de 2011 às 12:38
Olá Retrato,

Vamos ter que deixar morrer o assunto por aqui, pois não tarda estes comentários ficam a parecer a Olivia palito.. lolll ...(saudades).

Penso que o melhor que tiramos disto é de facto esta troca de opiniões que nos permite reflexões mais alargadas sobre os diversos temas. Nem sempre se trata de teimosia, orgulho, personalidade, feitio, inteligência, mas sim, de valores que apreciamos, incutimos e partilhamos de forma a serem considerados e não depreciados por "dá cá aquela palha" entendes??..ou seja o ideal, na minha opinião é poder dizer tudo, aquilo que se sente e pensa, aquilo que se defende, aquilo em que se acredita, mas que se entenda que não é forçosamente uma posição radical e definitiva, pois nesse caso a vida seria muito madrasta.

Entendo perfeitamente a tua postura, a tua visão, a tua relação com este tema, se formos a ver, essas avaliações de que falas, existem em "n" situações pessoais, profissionais e familiares, estão nas pessoas, nos seus comportamentos e atitudes, não estão no dia que se comemora, esse é um factor surpresa, nunca se sabe como acaba!!...

Mas olha, gostei bastante deste nosso primeiro contacto, deu para perceber que temos visões abrangentes e que albergamos qualquer opinião fundamentada e consciente. Concerteza que vou gostar de te ver por aqui, aliás...eu também já arranjei um lugarzinho catita na tua plateia.

Beijoka


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Quantas vezes

Já me perguntaram

Quantas vezes

Já me indagaram

Quem é você…

Como você é…

De onde vem

Pra onde vai…

Quantas perguntas

Quantos julgamentos

Quantos enganos

Quantos…

Tudo é tão simples

Sou assim…

Nasci e cresci

Num lar com muito amor

Com muito calor…

Sou amor, sou paixão…

Sou amiga, sou mulher…

Sou esposa, sou mãe.

Sou carinho, sou ternura…

Sou encanto, sou magia…

Sou o que sempre fui

Seja aqui seja lá

Seja onde for…

Você saberá onde me achar

Você saberá

Quando eu chegar.

Será emoção

Será ternura

Será magia

Será encanto.

Quem sabe…

Um dia você…

Descubra quem sou…

De onde vim

Pra onde vou…

Entre linhas

Entre versos

Entre um antes

Entre um depois…

.arquivos

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Fevereiro 2010

.posts recentes

. PESSOAS - LIVROS

. O CALADO FICOU A VER ESTR...

. É SÓ UMA SEMANINHA...

. ANALISANDO... a coisa mai...

. AI...QUEMEDOITUDO...

. MALVADAS CRIATURAS

. RUBRICA # 0.2

. ESTÁ CALOR, ESTÁ TÁ...

. LOURENZO ACODE-ME...

. RUBRICA# 0.1

.Quem está aí?

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Muito proveitoso, adoramos!obrigado por compartilh...
Parabéns pelo post, equipe brigadeiro porto alegre...
excelente post!
Sempre coerente Teté. Bjs

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds